Antioxidantes – Novos Horizontes

Os antioxidantes, como temos vindo a referir em postagens anteriores, são muito benéficos para a saúde. Aqui vão algumas curiosidades e descobertas recentes:

  • Algumas experiências com ratos permitiram concluir que os antioxidantes podem estabilizar o crescimento de células cancerosas ao proibir a chegada de oxigénio a estas células. Durante este estudo os cientistas verificaram que os ratos que tinham linfomas apresentavam um elevado número de radicais livres que são utilizados pela proteína HIF-1 para ajudar a produzir ATP, sendo utilizada na criação de novos vasos sanguíneos. Com a presença de antioxidantes, como é o exemplo da vitamina C ou N-acetilcisteína, os radicais livres vão ser reduzidos pelos antioxidantes, conduzindo apenas à morte das células cancerosas;

Espinafres - Fonte de vitamina E

  • Outros estudos realizados por cientistas levaram à síntese de uma família de compostos químicos a partir da vitamina E mais eficazes que esta denominados de piridinóis. Estes ligam-se ao LDL (colesterol) e protegem-no da oxidação. Os cientistas pretendem tornar estes compostos solúveis em água, ao contrario da vitamina E o que permitirá uma maior captura de radicais livres, uma vez que grande parte do nosso organismo é composto por água;
  • A pancreatite crónica é uma doença que resulta de pedras na vesícula, abuso de álcool e mutações génicas e manifesta-se através da perda de peso, diarreia, falta de vitaminas e dores abdominais agudas. Os doentes que apresentam esta patologia apresentam um elevado número de radicais livres que pode ser regulado com antioxidantes, reduzindo a dor de uma forma natural e não com o constante consumo de analgésicos;

Pipocas, o aperitivo mais antioxidante conhecido

Outra curiosidade interessante é o facto das pipocas serem o aperitivo com maior quantidade de antioxidantes e fibras.

Autora: Juliana

Fontes:

http://www.hopkinsmedicine.org/Press_releases/2007/09_10_07.html

http://exploration.vanderbilt.edu/news/news_antioxidant.htm

http://abcnews.go.com/Health/WellnessNews/story?id=8356993

http://www.naturalnews.com/025275_pain_antioxidants_antioxidant.html

Imagens retiradas de:

http://www.phoenixgardens.net/WhatWeGrow/Vegetables/SpringVegetables/tabid/57/Default.aspx

http://sobrepalavra.wordpress.com/2009/09/25/pipocas-da-vida/

Anúncios

Mais um passo no projecto: novas amostras!

Chegando à época das anonas cá na região, decidimos aproveitar este fruto para analisar o seu poder antioxidante. Deste modo, também seleccionamos as caiotas ou chuchu (nome conhecido em outras zonas do país e no Brasil).

Anona utilizada por Grupiv

Caiota utilizada por Grupiv

Annona cherimoya, conhecida simplesmente como anona, é uma espécie nativa da América Central, sendo o fruto de cor verde e com pequenas “depressões” e o seu interior branco com sementes pretas. Estas últimas são tóxicas uma vez ingeridas, daí servirem de insecticida natural. É um fruto rico em fósforo, ferro e vitamina C.

Sechium edule, conhecida como caiota, é uma espécie das família das cucurbitáceas (plantas rastejantes e trepadeiras, como a abóbora, o pepino, o melão, entre muitos outros) também nativa da América Central e considerada como um fruto devido ao facto das suas sementes estarem incorporadas por uma parte comestível. É rico em fibras, potássio e vitaminas A e C. Toda a planta é comestível.

Procedeu-se então da mesma forma do que as frutas anteriores para a extracção de compostos antioxidantes em metanol e filtração (para os mais esquecidos –> 2º Etapa – Metanol e Filtração). Como as caiotas são consumidas maioritariamente cozidas, decidimos fazer dois extractos para tal, um com este fruto cozido e outro deste fruto ao natural.

Anona cortada ao meio

A cozer as caiotas

Caiota cozida no gobelé da esquerda e respectiva água de cozedura no gobelé da direita

Preparado de anona antes de adicionar metanol

Grupiv

 

3º Etapa – Análise no colorímetro

No passado dia 18 de Janeiro, a Dra. Carmo Barreto da Universidade dos Açores disponibilizou-se para nos ajudar na análise dos extractos no colorímetro (para os mais esquecidos –> Colorímetro).

Os extractos já evaporados

Iniciou-se com a preparação das soluções de DPPH, vitamina C e dissolveu-se uma pequena porção de cada extracto em metanol.

Solução de DPPH à esquerda e solução de vitamina C à direita

De seguida, adicionou-se a solução de DPPH a vários tubos de ensaio e respectivas soluções dos extractos e vitamina C para ver se ocorreria a sua redução (mudança da cor violeta para amarelo).

Soluções de DPPH antes de serem adicionados os extractos e vitamina C

Finalmente passou-se para a análise no colorímetro em si, no qual foi possível determinar a absorvância e transmitância de cada solução, podendo assim determinar a sua concentração em teor antioxidante.

Soluções de DPPH + extractos e vitamina C após algum tempo. Repare como as soluções reduzidas possuem uma coloração amarela ou mais clara.

Autoria: Ângela e Juliana

Tangerina – Antioxidante Sumarento

A tangerina, Citrus reticulata, é uma fruta da família dos citrinos oriunda da Ásia que apresenta uma pequena dimensão e uma cor alaranjada.

Os gomos da tangerina são mais pequenos do que os da laranja e apresentam um maior número de pevides (sementes)

A sua polpa apresenta quantidades apreciáveis de vitamina A, vitamina C, fibras e sais minerais, sendo um dos que apresenta maior expressão o magnésio que tem um papel importante no organismo, nomeadamente na síntese das proteínas, na contracção dos músculos entre outras funções.

Como já foi referido em postagens anteriores, a vitamina A ajuda a aumentar a resistência às infecções e a manter os olhos e a pele saudáveis, enquanto que a vitamina C desempenha funções no sistema imunológico. A tangerina também ajuda a prevenir a arteriosclerose (endurecimento e espessamento das paredes das artérias), cancros, diabetes e doenças cardiovasculares. Para além disso apresenta um efeito diurético (facilita a excreção da urina) , digestivo, antioxidante e laxante.

Tanto a sua casca como as folhas da árvore podem ser utilizadas: as folhas para chá e a casca em doces e geleias.

E você, já comeu tangerina hoje?

Autora: Juliana Ponte

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tangerina

Mangostim – Antioxidante Qualificado

Garcinia mangostana, mais conhecida como mangostão ou mangostim é um fruto proveniente do Sudeste Asiático e muito utilizado na medicina oriental devido às suas inúmeras qualidades como o sabor, o aroma, a riqueza nutricional e o poder antioxidante. De tamanho de uma laranja pequena, a sua casca é rija e de cor violeta, sendo rica em polifenóis que provoca um sabor adstringente (aperto na língua), daí ser resistente a fungos, bactérias e afasta possíveis predadores. O seu interior (parte comestível) é branco rosado e encontra-se dividido é pequenos segmentos, como os gomos de um citrino.

O interior do mangostim é branco e dividido em gomos.

O mangostim possui quantidades consideráveis de vitamina C, fósforo e cálcio. O seu sumo contém xantonas, um fitonutriente proveniente do metabolismo das plantas com actividade anti-microbiana, anti-inflamatória, anti-tumoral, entre outras.

Em países como a Tailândia, China e Singapura, as árvores que dão este fruto e ele próprio são utilizadas em carpintaria, curtume (processamento do couro), como corante e óleos medicinais.

E você, já comeu mangostim hoje?

Autora: Ângela Medeiros

Fontes:

http://www.hort.purdue.edu/newcrop/morton/mangosteen.html

http://www.xantonas.pt/

http://en.wikipedia.org/wiki/Purple_Mangosteen

Morango – Antioxidante Alegre

O morango, é uma das espécies de Fragaria e provém dos morangueiros, sendo mais consumida no Verão e princípios do Outono. É rico em vitamina C daí o seu consumo evitar a fragilidade dos ossos e a má formação dos dentes. Esta vitamina também dá resistência aos tecidos, age contra infecções, ajuda a cicatrizar ferimentos e evita hemorragias. O morango possui, em menor quantidade, vitamina B5, conhecida como niacina. Ela tem a função de evitar problemas de pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso. Natural ou em sumos, o morango é recomendado como auxiliar do tratamento do reumatismo. É ainda eficiente contra infecções do fígado, garganta e vias urinárias.

A parte vermelha do morango não é o verdadeiro fruto ao contrário do que muitos pensam

Tecnicamente o morango não é um fruto mas sim um pseudofruto, sendo “os pontos amarelos” o verdadeiro fruto.

O cultivo de morangos requer muitos cuidados porque é uma planta muito sensível a doenças e a alterações climáticas.

Autor: Diogo Verdinho

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Morangueiro

http://www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br/morangoorientacao.htm

Castanha – Antioxidante Quentinho

Castanhas

Uma forma de preparar castanhas

Tendo em conta a época em que nos encontramos, é propício perguntar: que fruto é o mais apetecido, quando o frio começa a apertar e as lareiras se acendem? Possivelmente responderia o mesmo que eu, a Castanha. Comê-las sempre foi bom, mas muitas das pessoas não sabem se fazem bem, se fazem mal, a sua composição, para que fins pode ser usada, e até mesmo a sua origem.

Presumindo-se que sejam oriundas da Ásia Menor, Balcãs e Cáucaso, a castanha que comemos é, de facto, uma semente que surge do interior de um ouriço. Bastante ricas em vitaminas C e B6, e uma boa fonte de potássio, razão pela qual, em tempos antigos, esta substituía o pão, quando este escasseava. Ela é muito utilizada na cozinha tradicional. Pode ser comida assada, cozida, em puré, acompanhando um prato, e até mesmo substitui a batata na sopa, quando ainda não é tempo desta.

Em termos medicinais, a castanha contribui para aumentar a quantidade de leite materno, serve para pessoas com problemas de fígado ou rins, e ajuda pessoas que tenham dificuldades na digestão dos alimentos.

 Pense na sua saúde, por isso, coma castanha hoje!

 Informações extra:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Castanha

http://consultoriodeastrologia.blogs.sapo.pt/536862.html

Autora: Carolina Murta

Lichias – Antioxidante Romântico

Litchi chinensis, mais conhecida pelo seu nome vulgar de lichia ou litchi, é uma fruta de origem asiática, mais precisamente na China. Apresenta uma casca rugosa de cor vermelho-rosa, o seu interior é branco translúcido e possui apenas uma única semente acastanhada (drupa). Devido à sua forma semelhante a um coração e à sua própria cor quando está madura, é considerada um símbolo de amor e romance no país mencionado acima.

Lichias

Aspecto das lichias quando encontra-se própria para consumo

Sendo muito rica em vitamina C e potássio, constitui uma importante fonte de antioxidantes. Além desses, ainda apresenta altos níveis de polifenóis (onde estão inseridos os flavonóides), o que contribui ainda mais para a destruição de radicais livres em excesso. O seu teor reduzido em sódio e colesterol, em consonância com o seu sabor doce e leve, torna as litchis um fruto facilmente assimilado pelo organismo e bastante apetecível nas épocas mais quentes, sendo consumidas ao natural ou em doces como pudins, gelados ou mesmo em molhos.

Em Portugal, as lichias podem ser encontradas frescas à venda nos grandes mercados ou enlatadas.

E você, já comeu lichias hoje?

Adaptado de http://en.wikipedia.org/wiki/Lychee e http://www.lycheesonline.com/index.cfm.

Autora: Ângela Medeiros

« Older entries