Um adeus indefinido!

Por fim, o ano já passou e o projecto concluiu-se. Se esteve atento ao nosso blog, de certeza que ainda se lembra das nossas peripécias. Se é dos mais esquecidos relembramos agora as nossas actividades ao longo do ano:

  • Análise do poder antioxidante de diferentes frutas, sendo a última as caiotas neste 3º período. Nesta parte do projecto podemos concluir que a anona e os araçás foram as frutas que apresentaram o maior poder antioxidante ao contrário das caiotas, que revelaram ser as com menor poder de capturar radicais livres (tal como podem verificar no gráfico abaixo);

  • Análise da quantidade de ferro de diferentes águas da região das Furnas. Desta etapa do projecto concluímos que apenas a água da nascente “Glória Patri” apresenta os valores ideais de ferro para consumo, pois as restantes duas (nascente “Grutinha II” e junto das Fumarolas) possuem uma quantidade elevada deste mineral;

  • Manutenção de um blog, portefólio e realização de relatórios trimestrais assim como apresentações orais;

  • Entrevistas e inquéritos à comunidade;

  • Participação na IV Mostra Nacional de Ciência no Museu da Electricidade em Lisboa nos dias 27 a 29 de Maio. Apesar de não termos ganho com o nosso projecto, o Concurso dos Jovens Cientistas e Investigadores foi uma experiência notável e enriquecedora: conhecemos diferentes pessoas, partilhamos ideias sobre os projectos e alargamos os nossos horizontes. Será um daqueles momentos que nos virá à memória e poderemos dizer: “Valeu a pena!”

O nosso stand no Museu da Electricidade. Naquele momento estavamos a ser avaliados pelo júri responsável pela área de química

Esperemos que as nossas aventuras ao longo deste ano lectivo tenha inspirado futuros cientistas a prosseguir com o nosso trabalho, pois este tema não pára aqui. Todos os dias algo de novo surge. E somos nós quem necessita de ser curiosos e sedentos por novos resultados. Este é o lema ideal para pôr as mãos à obra!

Por fim, gostaríamos de fazer um agradecimento à Dra. Carmo Barreto da Universidade dos Açores pelo tempo e ajuda disponibilizado e também um muito obrigado a todas as pessoas que tornaram este projecto possível e mais divertido.

Boas férias!

Anúncios

Análise férrica das águas da região das Furnas

Como já foi referido em postagens anteriores, seleccionamos três águas diferentes da região das Furnas: “Glória Patri”, Nascente “Grutinha II” e próximo das fumarolas. O principal objectivo foi verificar se as mesmas eram próprias para consumo sabendo a sua quantidade de ferro. Se as águas apresentarem uma quantidade de ferro acima dos 0,3mg/l torna-se não potável, adquire um sabor metálico e pode manchar superfícies. Se as águas apresentarem uma percentagem de ferro próximo do valor máximo permitido tem uma maior capacidade de oxidar compostos do que aquelas com uma quantidade mínima ou nula de ferro.

Nascente "Grutinha II"

Para análise dessas águas, utilizou-se um método para reduzir o ião férrico (Fe3+) a ião ferroso (Fe2+). Para tal, recorreu-se ao ácido ascórbico como agente redutor e a fenantrolina para formar quelatos (compostos que “aprisionam” os iões metálicos) com os iões de ferro. Registou-se inicialmente a absorvância de concentrações de ferro conhecidas para traçar uma curva de calibração através de um gráfico, que serve para localizar a absorvância das concentrações de ferro desconhecidas das águas podendo assim determinar a sua concentração.

Soluções padrão de ferro - As que apresentam uma cor mais escura possuem maior quantidade de ferro dissolvido

Obteve-se bons resultados uma vez que a curva de calibração apresenta boa linearidade. Das águas analisadas conclui-se que a da Glória Patri apresenta uma quantidade de ferro mínima o que a torna própria para consumo. Em relação às outras águas, estas apresentam quantidades de ferro elevadas o que as torna impróprias para consumo, até mesmo para lavagens de objectos.

As três águas analisadas. Repare que a cor laranja significa que estas águas apresentam uma quantidade de ferro elevada

Elaborado por: Ângela Medeiros, Carolina Murta e Juliana Ponte

Fontes:

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/vitaminas/vitamina-c-acido-ascorbico.php

http://www.analista.com.br/fichas/Fenantrolina.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Acetato_de_s%C3%B3dio

Decreto-Lei 306/2007, de 27 de Agosto

São Miguel – um paraíso no centro do Atlântico

A ilha de São Miguel é caracterizada pela sua enorme beleza e paisagens deslumbrantes, considerada por muitos como a região mais bela de Portugal.

Nesta bonita ilha portuguesa situada em pleno Oceano Atlântico poderá observar algumas das paisagens mais belas que a Natureza lhe poderá oferecer e também toda a força do planeta Terra que se manifesta em São Miguel através do seu vulcanismo activo e também secundário. A sua natureza vulcânica é a principal responsável pela actual diversidade paisagística numa ilha relativamente pequena, desde zonas mais planas, a escarpas acentuadas, montanhas formadas por vulcões adormecidos, lindas zonas verdes formadas pelos terrenos vulcânicos e férteis e um vasto número de lagoas.

"Caldeira Grande", uma fumarola da zona das Furnas

Devido ao facto do solo ser vulcânico, estes são ricos em elementos ferromagnesianos o que influencia a composição mineralógica das águas subterrâneas, nascentes termais, entre outras, pois tornam-se ricas em ferro e magnésio. Ora, esse acréscimo de elementos ferromagnesianos podem fazer com que as pessoas que as tomam regularmente fiquem mais sujeitas a radicais livres, uma vez que o ferro tem propriedades oxidativas. De facto, a última das grandes erupções que ocorreu em São Miguel foi em 1630 no vulcão das Furnas o que faz com que o solo neste local seja extremamente rico em elementos ferromagnesianos o que torna a água deste local muito oxidativa.

As Furnas são muito conhecidas pelas suas águas termais, nomeadamente as caldeiras, a poça da Beija, piscinas termais e fumarolas (áreas de concentração de nascentes termais) que fornecem vários elementos terapêuticos.

"Terra Nostra", um local conhecido pelas suas águas termais

Curiosidades:

  • São realizados cozidos em vales nos solos, através do calor do vulcão;
  • O vulcão das Furnas é um dos três principais vulcões da ilha de São Miguel;
  • Ao contrário do que muitas pessoas pensam, em São Miguel não existe géisers.

Imagem retirada de:

Diogo Verdinho

Figo – Antioxidante Elegante

Denominado cientificamente de Ficus carica, o figo é o fruto da figueira, uma árvore de folha caduca nativa do Sudoeste Asiático e da região do Mediterrâneo e praticamente cultivada em qualquer parte do mundo, pois adapta-se bem às diferentes condições ambientais, sendo os seus maiores exportadores a Turquia e o Egipto.

Figos maduros inteiros e cortado em metade

A planta realiza a autopolinização, uma vez que possui flores de ambos os sexos. Tanto as flores masculinas como as flores femininas irão originar figos, mas só os que provêm da flor feminina são comestíveis. Este fruto apresenta uma casca de cor verde, que se torna avermelhada/violeta quando maduro e o seu interior é suculento e cheio de sementes de pequenas dimensões. São consumidos ao natural, secos (a maior parte destes são comercializados desta forma, pois no estado fresco o fruto estraga-se/apodrece rapidamente), em compotas ou como acompanhamento de diversos pratos. Ao contrário do que as pessoas pensam, o figo é um fruto falso ou fruto múltiplo, pois consiste num aglomerado de flores pequenas que devido à sua proximidade unem-se formando uma só massa. A seiva desta árvores pode provocar alergias e causa irritações na pele, semelhantes a uma queimadura.

Figos secos

Porquê consumir figos? Embora o seu tamanho reduzido, este fruto é muito rico em cálcio e fibras. Além disso apresenta quantidades elevadas de sais minerais como o magnésio e o potássio. O alto teor em vitamina C, flavonóides e polifenóis tornam-o num potente antioxidante. Contudo, o figo não é aconselhável a pessoas diabéticas em excesso, pois também é muito rico em açúcares. Devido à sua riqueza nutricional, o consumo equilibrado destes proporciona um bom funcionamento do sistema digestivo, evita a prisão de ventre, combate os radicais livres presentes nas células, previne gengivites e outras infecções na zona bucal e possui propriedades anticancerígenas.

E você, já comeu figos hoje?

Autora: Ângela

Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Common_fig

http://www.todafruta.com.br/todafruta/mostra_conteudo.asp?conteudo=15051

http://www.pfaf.org/database/plants.php?Ficus+carica

Imagens retiradas de:

http://panelada.wordpress.com/2008/04/07/receitas-de-jamie-oliver/

http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u361577.shtml

Antioxidantes – Novos Horizontes

Os antioxidantes, como temos vindo a referir em postagens anteriores, são muito benéficos para a saúde. Aqui vão algumas curiosidades e descobertas recentes:

  • Algumas experiências com ratos permitiram concluir que os antioxidantes podem estabilizar o crescimento de células cancerosas ao proibir a chegada de oxigénio a estas células. Durante este estudo os cientistas verificaram que os ratos que tinham linfomas apresentavam um elevado número de radicais livres que são utilizados pela proteína HIF-1 para ajudar a produzir ATP, sendo utilizada na criação de novos vasos sanguíneos. Com a presença de antioxidantes, como é o exemplo da vitamina C ou N-acetilcisteína, os radicais livres vão ser reduzidos pelos antioxidantes, conduzindo apenas à morte das células cancerosas;

Espinafres - Fonte de vitamina E

  • Outros estudos realizados por cientistas levaram à síntese de uma família de compostos químicos a partir da vitamina E mais eficazes que esta denominados de piridinóis. Estes ligam-se ao LDL (colesterol) e protegem-no da oxidação. Os cientistas pretendem tornar estes compostos solúveis em água, ao contrario da vitamina E o que permitirá uma maior captura de radicais livres, uma vez que grande parte do nosso organismo é composto por água;
  • A pancreatite crónica é uma doença que resulta de pedras na vesícula, abuso de álcool e mutações génicas e manifesta-se através da perda de peso, diarreia, falta de vitaminas e dores abdominais agudas. Os doentes que apresentam esta patologia apresentam um elevado número de radicais livres que pode ser regulado com antioxidantes, reduzindo a dor de uma forma natural e não com o constante consumo de analgésicos;

Pipocas, o aperitivo mais antioxidante conhecido

Outra curiosidade interessante é o facto das pipocas serem o aperitivo com maior quantidade de antioxidantes e fibras.

Autora: Juliana

Fontes:

http://www.hopkinsmedicine.org/Press_releases/2007/09_10_07.html

http://exploration.vanderbilt.edu/news/news_antioxidant.htm

http://abcnews.go.com/Health/WellnessNews/story?id=8356993

http://www.naturalnews.com/025275_pain_antioxidants_antioxidant.html

Imagens retiradas de:

http://www.phoenixgardens.net/WhatWeGrow/Vegetables/SpringVegetables/tabid/57/Default.aspx

http://sobrepalavra.wordpress.com/2009/09/25/pipocas-da-vida/

O que se fez ao longo deste período…

“Este segundo período nunca mais acaba…”, “Ainda temos tanto trabalho para fazer…”, “Preciso de férias!” – É verdade que estes pensamentos estavam presentes nas nossas mentes muitas vezes mas, tal e qual como numa corrida de Fórmula 1, atingimos a meta e o segundo período já terminou. Relembramos então aos mais esquecidos as actividades que desenvolvemos ao longo destes três meses:

  • Pesquisa e tratamento de informaςão: novos protocolos, notícias recentes acerca dos antioxidantes, significado de termos, entre outros para podermos aplicá-los no nosso dia-a-dia e interpretar os resultados obtidos nas diferentes análises;
A tomar notas e a ouvir as explicações da Dra. Carmo Barreto da Universidade dos Açores
  • Manutenção do blogue e portefólio;
  • Análise no colorímetro dos extractos utilizando o Método DPPH para determinar o poder antioxidante de cada fruta: até ao momento, os resultados obtidos foram positivos, ou seja, as frutas seleccionadas são capazes de capturar os radicais livres, minimizando os seus efeitos negativos no nosso organismo;

A pesar a quantidade de extracto a utilizar (à frente) e colocação da solução de DPPH nos tubos de ensaio (no fundo)

Redução do DPPH (mudança da cor violeta para amarelo)

  • Preparação de novos extractos: Annona cherimoya (anona) e Sechium edule (caiota ou chuchu);
  • Realização de um inquérito à comunidade escolar acerca dos seus conhecimentos sobre o tema do nossos projecto;
  • Início da análise da quantidade de ferro presente em diferentes águas da região das Furnas: como o ferro possui propriedades oxidativas, o consumo de águas com excesso desse mineral pode levar a uma maior produção de radicais livres pelo nosso organismo.

Fumarolas, uma manifestação de vulcanismo secundário presente na região das Furnas

No próximo período iremos continuar com as análises dos extractos quanto ao seu poder antioxidante e tirar conclusões acerca das águas recolhidas. Portanto, fiquem alertos e não percam as nossas próximas aventuras!

De Grupiv

Testa os teus conhecimentos!!

Durante este segundo período, Grupiv realizou um inquérito de 10 questões a parte da comunidade escolar acerca do tema em estudo: Antioxidantes vs. Radicais livres. No total participaram 132 alunos, entre os quais 65 do sexo feminino e os restantes 58 do sexo masculino. As idades dos mesmos variaram entre os 14 até aos 20 anos.

Estás curioso(a)? Então testa os teus conhecimentos também (as respostas encontram-se no final):

Pergunta 1 – Sabes o que significa a medicina ortomolecular?

a) É o mesmo que estomatologia;

b) É um ramo da medicina alternativa;

c) É uma ciência que estuda as moléculas do nosso organismo;

d) Todas as afirmaςões estão correctas.

Pergunta 2 – O que são radicais livres?

a) São moléculas instáveis devido à falta de um electrão;

b) São moléculas instáveis devido ao ganho de um electrão;

c) São moléculas do nossos organismo;

d) As alíneas anteriores estão incorrectas.

Pergunta 3Retinol, Tocoferol e Calciferol são, respectivamente:

a) Vitamina B1, Vitamina K e Vitamina D;

b) Vitamina A, Vitamina K e Vitamina C;

c) Vitamina A, Vitamina E e Vitamina D;

d) Vitamina R, Vitamina T e Vitamina C.

Pergunta 4 – Qual dos alimentos seguintes possui maior poder antioxidante?

a) Ameixa;

b) Repolho;

c) Uvas;

d) Milho.

Se tiveres dúvidas, não hesites em perguntar-nos!

Pergunta 5 – O que são antioxidantes?

a) São todas as proteínas;

b) São moléculas que oxidam células;

c) São compostos que previnem a oxidaςão;

d) Todas as afirmaςões anteriores estão correctas.

Pergunta 6 – Qual o papel dos antioxidantes no nosso organismo?

a) Quebrar a cadeia oxidativa que os radicais livres criam;

b) Combater as bactérias;

c) Criar células de defesa no nosso oganismo;

d) Todas as afirmaςões estão correctas.

Pergunta 7 – Qual o efeito dos radicais livres no nosso organismo?

a) Provocam mutaςões no material genético;

b) Promovem a destruiςão de células estranhas ao corpo;

c) Oxidam células do próprio organismo;

d) Todas as alíneas anteriores estão correctas.

Pergunta 8 – Qual a actividade que promove mais radicais livres?

a) Actividade física/ desporto;

b) Ver televisão;

c) Comer;

d) Estudar.

Pergunta 9 – Qual o sector da roda dos alimentos com mais antioxidantes?

a) Legumes e verduras;

b) Cereais e leguminosas;

c) Gorduras e lacticínios;

d) Água.

A pergunta 10 foi uma de resposta aberta acerca dos alimentos que consomem nas refeiςões principais.

No gráfico seguinte estão indicadas o número de respostas correctas e erradas obtidas em cada pergunta, podendo ver um balanςo geral do conhecimento dos inquiridos.

Como podem ver, o número de respostas incorrectas predomina com excepção das perguntas 5 e 9, ou seja, os antioxidantes (o que são e seus efeitos no organismo) e os radicais livres constituem ainda uma incógnita para muitas mentes, sendo o nosso trabalho informá-los para caminharem em direcção de uma alimentação mais rica e saudável. Em relação às respostas obtidas na última questão, podemos concluir que os inquiridos tomam refeições equilibradas, com algumas excepções na hora do lanche e almoço, a qual preferem sandes, batatas fritas e refrigerantes.

De Grupiv

Imagem retirada de: http://decifrandorotulo.blogspot.com/2009_03_01_archive.html

Correcção: 1-b); 2-a); 3-c); 4-b); 5-c); 6-a); 7-d); 8-a); 9-a).

Radicais livres não é só nos animais!

A fotossíntese é um dos processos mais importantes que ocorreu na vida de uma planta mas que em contrapartida expõe as mesmas à actividade dos radicais livres. Deste modo, as plantas produzem antioxidantes que irão combater os danos eventuais, sendo também de referir que processos metabólicos secundários das plantas (não têm como prioridade produzir compostos para a sobrevivência das células mas sim para a competição no meio ambiente e constitui uma vantagem evolucionária) têm como função a eliminação de radicais livres como também a protecção contra a oxidação causada pelo excesso de radiação ultravioleta entre outros factores, como a falta de água.

O metabolismo secundário das plantas produz compostos que atraem os insectos para as suas flores, podendo assim transferir o seu pólen.

Nas plantas, a alterações ambientais levam por vezes a formação de radicais de oxigénio muito reactivos. A resistência a essas alterações podem estar relacionadas com a actividade de enzimas envolvidas na desintoxicação dos mesmos. Esses radicais de oxigénio provocam danos celulares na planta que podem ser reduzidos através do superóxido dismutase de manganês (MnSOD) presentes nos cloroplastos e mitocôndrias (organelos mais propícios para a formação de RL). É de deduzir então que quanto maiores forem as quantidades de superóxido, maior será a redução dos danos celulares.

Curiosidades: já pensou que os microondas não trazem só benefícios, principalmente para os que têm pouco tempo de almoço e gosta de comida caseira? A água quando aquecida no microondas e após o seu arrefecimento, se for utilizada para regar plantas, principalmente no seu estado inicial de crescimento, favorece a formação de radicais livres podendo causar danos graves nas células vegetais, como a perda de rigidez da parede celular ou até mesmo a morte da célula afectada. Isto deve-se à radiação que fica retida na água, a qual vai reagir com os compostos dentro das células.

Como a nossa dieta diária inclui fruta e verduras, o nosso corpo está mais "protegido" das radiações microondas

Existe vários tipos de herbicidas (uns mais poderosos e selectivos do que outros) que utilizam diferentes formas de destruir as plantas indesejadas. Enquanto que uns utilizam compostos químicos para destruir o DNA ou os organelos celulares, outros inibem a acção dos pigmentos fotossintéticos e ainda existem aqueles que provocam radicais livres nas células. Uma exposição prolongada deste “venenos” culminam na morte da mesma.

Diogo e Carolina

Fontes:

http://www.uri.edu/ce/factsheets/sheets/herbicides.html

http://www.answerbag.com/q_view/178672

http://www.revistas.ufg.br/index.php/REF/article/viewFile/3026/3048

Imagens retiradas de:

http://www.abelhas.ufc.br/pesqand.htm

http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/microondas.asp

« Older entries