Ananás – Antioxidante Real

Nativo do Paraguai e Brasil, de nome científico Ananas comosus, o ananás é um fruto muito apetecido em qualquer época do ano, sendo muito cultivado nos Açores. O seu exterior assemelha-se a escamas, possui uma “coroa” de folhas e o seu interior é amarelo e de sabor ácido e doce.

Ananás cortado às fatias

Ao contrário do que muitos pensam, o ananás não é apenas um fruto, mas sim vários (um fruto múltiplo), ou seja, devido à quantidade de flores próximas umas das outras, os vários frutos acabam por se unir numa única massa. O figo é também um fruto múltiplo.

Flores que irão gerar um ananás

Rico em fibras, sais minerais e vitaminas C e B1, constitui um óptimo antioxidante. As suas grandes quantidades de manganésio auxiliam na síntese de enzimas como as hidrolases (enzimas que promovem a separação de moléculas orgânicas com água) e as oxidoreductases. A indústria aproveita do ananás o ácido cítrico, a bromelina e o ácido málico para produção de fármacos (anti-inflamatórios), aromatizantes e estabilizantes (conservantes, sumos, panificação, entre outros).

O ananás pode ser consumido ao natural, em conserva, em sumos, cristalizado, sobremesas, iogurtes, licores, entre outros.

E você, já comeu ananás hoje?

Autora: Ângela

Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Pineapple

http://saude.sapo.pt/artigos/dossiers/nutricao/ver.html?id=783541

Anúncios

Para os que gostam mais de ver…

Aqui está um breve resumo dos efeitos dos radicais livres na saúde humana:

Agora já sabe: sim aos antioxidantes e não aos radicais livres!

Medicina Ortomolecular? Nunca ouvi algo parecido…

Vitaminas e Minerais são essenciais

Nutrientes são essenciais!

Nos dias de hoje são poucas as pessoas que pensam duas vezes no que comem. À segunda-feira: pizza; à terça-feira: bife com batatas fritas; à quarta-feira: bacalhau com natas. Num piscar de olhos, o organismo desregula-se – os níveis de gordura aumentam e os de açúcar e sal não descem. Uma das soluções mais óbvias será ter uma dieta mais saudável. Ora, a medicina ortomolecular pode ajudar nesse sentido.

Alguma vez foi à secção da medicina ortomolecular num hospital? A resposta é não, pois aos olhos da medicina convencional, esta “prática” ainda não possui fundamento científico suficiente, assim como outros ramos da medicina alternativa (homeopatia, por exemplo).

O termo ortomolecular – orto (certo) + molecular (moléculas) – foi introduzido por Linus Pauling (diagrama das configurações electrónicas de átomos) e defende um lema: restabelecer o equilíbrio químico. As “armas” utilizadas são nem mais nem menos do que as vitaminas, os minerais, as proteínas, entre outras opções. Como nem todas as pessoas têm o mesmo organismo, as doses de cada nutrientes também será diferente.

Parece ser uma terapia fácil e acessível, não é? Contudo, pode corrigir várias carências alimentares (cada vez mais comum), prevenir doenças como o temível cancro, “vigiar” situações de risco como a hipertensão ou simplesmente melhorar a qualidade de vida.

O que acha sobre este assunto? Não se esqueça de comunicar as suas ideias!