Figo – Antioxidante Elegante

Denominado cientificamente de Ficus carica, o figo é o fruto da figueira, uma árvore de folha caduca nativa do Sudoeste Asiático e da região do Mediterrâneo e praticamente cultivada em qualquer parte do mundo, pois adapta-se bem às diferentes condições ambientais, sendo os seus maiores exportadores a Turquia e o Egipto.

Figos maduros inteiros e cortado em metade

A planta realiza a autopolinização, uma vez que possui flores de ambos os sexos. Tanto as flores masculinas como as flores femininas irão originar figos, mas só os que provêm da flor feminina são comestíveis. Este fruto apresenta uma casca de cor verde, que se torna avermelhada/violeta quando maduro e o seu interior é suculento e cheio de sementes de pequenas dimensões. São consumidos ao natural, secos (a maior parte destes são comercializados desta forma, pois no estado fresco o fruto estraga-se/apodrece rapidamente), em compotas ou como acompanhamento de diversos pratos. Ao contrário do que as pessoas pensam, o figo é um fruto falso ou fruto múltiplo, pois consiste num aglomerado de flores pequenas que devido à sua proximidade unem-se formando uma só massa. A seiva desta árvores pode provocar alergias e causa irritações na pele, semelhantes a uma queimadura.

Figos secos

Porquê consumir figos? Embora o seu tamanho reduzido, este fruto é muito rico em cálcio e fibras. Além disso apresenta quantidades elevadas de sais minerais como o magnésio e o potássio. O alto teor em vitamina C, flavonóides e polifenóis tornam-o num potente antioxidante. Contudo, o figo não é aconselhável a pessoas diabéticas em excesso, pois também é muito rico em açúcares. Devido à sua riqueza nutricional, o consumo equilibrado destes proporciona um bom funcionamento do sistema digestivo, evita a prisão de ventre, combate os radicais livres presentes nas células, previne gengivites e outras infecções na zona bucal e possui propriedades anticancerígenas.

E você, já comeu figos hoje?

Autora: Ângela

Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Common_fig

http://www.todafruta.com.br/todafruta/mostra_conteudo.asp?conteudo=15051

http://www.pfaf.org/database/plants.php?Ficus+carica

Imagens retiradas de:

http://panelada.wordpress.com/2008/04/07/receitas-de-jamie-oliver/

http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u361577.shtml

Anúncios

Limão – Antioxidante Sagrado

Limão amarelo e respectiva flor

De nome científico Citrus x limon, este fruto é da família Rutaceae e nasce no limoeiro. Provavelmente, o limão é a fruta mais conhecida e usada no mundo. São tantas as suas utilidades na vida doméstica que é difícil enumerá-las. Tudo neste fruto se aproveita: com o seu sumo, preparam-se refrigerantes, gelados, molhos e aperitivos, bem como remédios, xaropes e produtos de limpeza; da casca, retira-se uma essência aromática usada em perfumaria e na preparação de licores. Muitas são as utilidades deste citrino fácil de se achar durante o ano todo, nas suas diversas variedades. Em geral, todos os tipos de limão têm aspecto semelhante, embora mudem no tamanho e na textura da casca, que pode ser lisa ou enrugada. Quanto à cor, variam do verde-escuro ao amarelo-claro.

Este fruto é sinónimo de remédio natural e apresenta inúmeros benefícios para o organismo:

-Elimina as toxinas;

-Impede que o ácido sulfúrico se acumule;

-Previne artrite e nefrite (inflamação dos rins);

-Regula os intestinos;

-Ajuda no bom funcionamento do fígado;

-Ajuda no tratamento de constipações, gripes e dores de garganta;

-Combate ateromas – placas lipídicas e de tecido fibroso que se formam nas paredes dos vasos sanguíneos, sendo uma manifestação da aterosclerose;

-Elimina o ácido úrico;

-Melhora os sintomas do reumatismo;

-Combate a gota (excesso de ácido úrico).

Os efeitos antioxidantes e alcalinizantes (devido ao seu teor de sais minerais) permitem que o limão “limpe” o sangue e proteja veias e artérias, pois ajuda a eliminar o mau colesterol  (LDL); reforça a parede dos vasos, dá elasticidade às artérias e impede a coagulação excessiva do sangue. A fruta é rica em flavonóides, e por isso tem acção anticancerígena; actua como anti-inflamatório, previne o envelhecimento precoce, problemas nos olhos e nas vias respiratórias.

Curiosidade:

-Apenas um limão é capaz de fornecer a quantidade diária recomendada de vitamina C.

Autora:

Carolina Murta*

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lim%C3%A3o

http://pt.shvoong.com/medicine-and-health/1739631-poder-cura-lim%C3%A3o/

http://www.ahau.org/curalimao.0.html

http://www.livrodereceitas.com/diversos/cozinha/curafrutas.htm

Imagem retirada de:

http://www.uni-graz.at/~katzer/engl/Citr_lim.html

Açores – Terra rica em antioxidantes

Os Açores é um arquipélago constituído por nove ilhas que se situam a Oeste de Portugal Continental. A nossa ilha, São Miguel – a maior de todas, é um local de excelência para quem procura Natureza, aventura e outros paladares – já experimentou o famoso cozido das Furnas? Consiste numa refeição saudável, que conserva todos os sabores dos alimentos, uma vez que é o calor da própria “terra” que o coze.

As 9 ilhas do Arquipélago dos Açores

Os ingredientes do cozido são colocados nos "buracos" e deixa-se tapado por 5-6 horas

Nós por cá também somos conhecidos pelas nossas plantações de chá de forma biológica. Actualmente a fábrica da Gorreana produz 3 tipos de chá preto – Orange Pekoe, Broken Leaf e Pekoe – e um tipo de chá verde, o Hysson. Esta bebida é concebida através da secagem das folhas, que podem ou não ser posteriormente moídas e é adicionado água quente ou fervida, pois depende do tipo de chá (o chá verde fica com um gosto amargo se a água for muito quente). A casca de certos frutos também podem ser utilizadas, como o ananás e os citrinos.

Parte das plantações de chá da Gorreana

O chá tem a sua origem na China há quase 5000 anos. O seu conhecimento no Ocidente deve-se aos Portugueses, sendo actualmente consumido em qualquer parte do globo. O chá da Gorreana é rico em flavonóides, um conhecido antioxidante, que ajuda a prevenir certos tipos de cancro, combate o colesterol alto, cáries, gengivites, protege contra infecções fúngicas, bacterianas e virais. Além disso auxilia a digestão e circulação sanguínea, assim como previne a formação de pedra nos rins e vesícula. A cafeína é um compostos que se encontra presente no chá, embora em quantidades diferentes segundo os vários tipos, é um estimulante activo e habitual causador de bem estar. É por isso que não se recomenda a ingestão de chá verde ou preto umas horas antes de dormir.

Mel, um antioxidante natural

A nossa flora também permite um grande número de abelhas. E com estas nós conseguimos produzir mel, um adoçante natural, saudável e muito apreciado.

O mel é constituído maioritariamente por frutose e glicose, contendo em menor quantidade água e outras substâncias como flavonóides e vitaminas. Esta composição varia conforme a zona onde é produzida, a flora existente e a espécie de abelhas. Estudos realizados demonstram que a cor do mel é directamente proporcional ao poder antioxidante, sendo aqueles mais escuros os melhores redutores de radicais livres. Demonstra-se que o mel da nossa região é rico em flavonóides e compostos fenólicos, contribuindo para a sua capacidade antioxidante, podendo ser utilizado como conservante natural de produtos.

Ângela e Juliana

Fontes:

http://chagorreana.acores.com/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ch%C3%A1

Serra, M. – As Propriedades Antioxidantes do Mel, Centro de Estudos de Engenharia Química do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Imagens retiradas de:

http://tletravels.com/wordpress/?p=367

http://cincoquartosdelaranja.blogspot.com/2007/09/cozido-em-terra-quente.html

http://www.motoazores.com/index.php/2008/05/

http://adrianeboneck.com.br/

O que são pigmentos naturais?

São compostos químicos com estruturas variadas responsáveis pela coloração das plantas e dos animais, deste modo, quase todos as células contém pigmentos. Quando existe a ausência destes pigmentos em seres, são chamados de albinos.

Chimpanzé albino à esquerda

Existem os pigmentos dos legumes que são os flavonóides, os carotenóides e a clorofila e o pigmento dos alimentos provenientes dos animais que é a mioglobina.

Os flavonóides são um grupo de compostos químicos encontrados naturalmente em certas frutas, vegetais, chás, vinhos, nozes, sementes e raízes. Embora não sejam considerados vitaminas, os flavonóides têm várias funções nutricionais que têm sido descritas como modificadores de resposta biológica enquanto que a maioria actua como antioxidantes, alguns têm propriedades anti-inflamatórias, anti-alérgica e anti-cancro, podendo ainda serem considerados como receptores de luz, repelentes de insectos e funcionam como filtros da luz solar. Estes flavonóides podem ainda dividir-se em vários subgrupos: flavanas, flavanonas, flavonóis, isoflavonas e antocianinas.

Soja e seus derivados - Alimentos ricos em flavonóides nomeadamente isoflavonas

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Flavonoide

http://www.xango.com.pt/science/flavonoids

Imagens retiradas de:

http://www.gruporsbrasil-online.com.br/gilson/noticias.asp?cod=114

http://www.imperativo.org/top-10-animais-albinos-os-fantasmas-da-natureza/

Os carotenóides são pigmentos de cor vermelha, alaranjada ou amarela, encontrados nas células de todos os vegetais, actuando na fotossíntese. Também estão presentes nas células de protistas e fungos. Seguidos da clorofila, os carotenóides são os pigmentos mais importantes para a fotossíntese, protegendo também os pigmentos de clorofila do excesso de luz. São insolúveis em água, mas são solúveis em solventes orgânicos. São obtidos facilmente pelos seres humanos através de alimentos como a cenoura e o tomate, tendo como benefícios a prevenção de doenças como o cancro e aterosclerose coronariana (estreitamento das paredes das artérias coronárias). Os grupos mais conhecidos de carotenóides são o beta caroteno, o licopeno e a xantofila, sendo os três antioxidantes conhecidos.

Tomate, um fruto rico em licopeno

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carotenoide

http://www.infoescola.com/bioquimica/carotenoides/

Imagem retirada de:

http://emporiumorganicodelivery.blogspot.com/

A clorofila é um grupo de pigmentos fotossintéticos presente nos cloroplastos (organelos presentes nas células vegetais e algas), responsável pela coloração verde das plantas. Deste modo, quando a quantidade deste clorofila começa a diminuir, as outras cores começam a sobressair. Este pigmento é importantíssimo na fotossíntese das plantas, uma vez que transformam a energia da luz solar em energia química (tendo como produtos finais a glicose e o oxigénio), podendo assim produzir seu próprio alimento.

Os "pontos" verdes são cloroplastos. A sua cor deve-se à presença de clorofila.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Clorofila

http://www.portaldascuriosidades.com/forum/index.php?topic=34539.0

http://www.todabiologia.com/botanica/clorofila.htm

Imagem retirada de:

http://www.plantasonya.com.br/tag/curiosidades

A mioglobina é uma proteína com uma cadeia única com 153 aminoácidos e contém um grupo heme no centro. É uma proteína de fixação de oxigénio nos músculos cardíacos e esqueléticos (responsáveis pelos movimentos voluntários), não fazendo o transporte deste como a hemoglobina. Sendo um dos principais pigmentos da carne, dá a esta uma coloração vermelha quando fresca.

A mioglobina atribui uma cor vermelha à carne fresca

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mioglobina

http://www.dqb.fc.ul.pt/cup/44337/mioglobina.htm

Imagem retirada de:

http://www.bernos.org/blog/2007/03/06/tire-sigga/

Diogo Verdinho

Lichias – Antioxidante Romântico

Litchi chinensis, mais conhecida pelo seu nome vulgar de lichia ou litchi, é uma fruta de origem asiática, mais precisamente na China. Apresenta uma casca rugosa de cor vermelho-rosa, o seu interior é branco translúcido e possui apenas uma única semente acastanhada (drupa). Devido à sua forma semelhante a um coração e à sua própria cor quando está madura, é considerada um símbolo de amor e romance no país mencionado acima.

Lichias

Aspecto das lichias quando encontra-se própria para consumo

Sendo muito rica em vitamina C e potássio, constitui uma importante fonte de antioxidantes. Além desses, ainda apresenta altos níveis de polifenóis (onde estão inseridos os flavonóides), o que contribui ainda mais para a destruição de radicais livres em excesso. O seu teor reduzido em sódio e colesterol, em consonância com o seu sabor doce e leve, torna as litchis um fruto facilmente assimilado pelo organismo e bastante apetecível nas épocas mais quentes, sendo consumidas ao natural ou em doces como pudins, gelados ou mesmo em molhos.

Em Portugal, as lichias podem ser encontradas frescas à venda nos grandes mercados ou enlatadas.

E você, já comeu lichias hoje?

Adaptado de http://en.wikipedia.org/wiki/Lychee e http://www.lycheesonline.com/index.cfm.

Autora: Ângela Medeiros