Carambola – Antioxidante Estelar

A carambola, cujo nome cientifico é Averrhoa carambola, consiste no fruto da caramboleira (árvore ornamental de pequeno porte, bastante usada para a decoração de quintais e jardins). Originária da Índia, de cor verde ou amarela e sabor agridoce, é bastante consumida na China, principalmente na fabricação de sobremesas. O cultivo da carambola é indicado em regiões de clima quente e húmido. Em torno de 4 anos, a árvore já começa a dar os primeiros frutos. Uma caramboleira pode durar cerca de 50 a 70 anos.

Flor da caramboleira

A fruta possui um formato semelhante ao de uma estrela, por isso também é conhecida como “star fruit”. A carambola possui cinco gomos e uma polpa de consistência rígida.

A carambola é rica em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e contém vitaminas A, C e do complexo B, sendo considerada uma fruta antipirética (que serve para combater a febre), antiescorbútica (que serve para curar a doença escorbuto – carência de vitamina C, e que se caracteriza pela tendência a hemorragias) e estimuladora do apetite (devido à grande quantidade de ácido oxálico), sendo ainda usada pela medicina popular no tratamento de afecções renais.

A forma da carambola é de uma estrela de 5 pontas

O seu sumo, apesar de ter um delicioso sabor, pode ser adstringente (sensação de aperto na língua) devido ao alto teor de tanino (um polifenol), e “prender o intestino”, razão pela qual se aconselha a consumir os frutos bem maduros. É ainda usado para retirar manchas de ferro, tintas e limpar metais.

Se anda sem apetite, já experimentou comer carambola para que este lhe faça tomar as refeições com mais prazer?

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carambola

http://www.delicifrutas.pt/carambola.php

http://www.midiaville.com.br/poder_das_frutas/pesquisa.php?palavra=carambola

Diogo verdinho 😛

Anúncios

Qual a quantidade certa?

As avitaminoses ou hipovitaminoses são uma família de doenças causadas pela falta ou deficiência de vitaminas no organismo e é classificada segundo a vitamina em falta, embora algumas vezes tenha nome próprio. Geralmente devem-se a uma alimentação incompleta, mas podem também surgir na sequência de outros problemas de saúde. Algumas destas doenças, como o escorbuto, provavelmente a primeira avitaminose conhecida, podem ser tratadas apenas com suplementos vitamínicos. A falta de vitaminas podem provocar muitas doenças no nosso organismo, como por exemplo, a falta de vitamina A provoca sobretudo a falta de visão tanto nocturna como diurna; a falta de vitamina B como as restantes do seu complexo origina doenças como beribéri (fraqueza muscular e dificuldades respiratórias). A deficiência de piridoxina (vitamina B6), biotina (vitamina H) pode perturbar o funcionamento metabólico normal, como a anemia, náuseas e nervosismo. A carência de vitamina C provoca especialmente hemorragias internas e nasais e o escorbuto acima mencionado. As quantidades insuficientes de vitamina D, podendo ser devido à falta de exposição solar, provoca o raquitismo – atraso do desenvolvimento dos ossos nas crianças e o aumento da fragilidade dos mesmo nos adultos.

Exemplo de uma estrutura óssea possível para pessoas com raquitismo

Para mais informações:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Avitaminose

http://medicosdeportugal.saude.sapo.pt/action/2/cnt_id/1166/

http://www.todabiologia.com/saude/avitaminose.htm

Hipervitaminose, ou envenenamento por vitamina, refere-se à condição de armazenamento de altos níveis de vitaminas, que podem levar a sintomas tóxicos. Alguns exemplos são a hipervitaminose A que é caracterizada por diversos sintomas, como náuseas, alterações do cabelo (que ficam ásperos e caem facilmente), ressecamento e escamação da pele, dor nos ossos, fadiga e sonolência. Também são comuns problemas de visão, dores de cabeça, distúrbios de crescimento e aumento do fígado. A hipervitaminose D pode provocar fraqueza, fadiga, perda de apetite, náusea e vômitos. A vitamina C, por exemplo, tem sido utilizada em doses diárias 1000 vezes acima da dose diária recomendada, mas embora sem efeitos tóxicos (e frequentemente utilizada no tratamento de doenças graves, como as cardiovasculares) podem exercer um forte efeito laxativo em pessoas saudáveis. É importante ressaltar que nem todas as vitaminas geram um quadro de hipervitaminose.

Fontes:

http://mymemory.translated.net/t/Portuguese/English/hipervitaminoses

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hipervitaminose

http://www.familiacrista.com/cgi-bin/getfromdb.pl?menu=EEVEylEZuphXQeClqi&ano=2006&mes=12&xms=artigos

Autor: Diogo Verdinho