Antioxidantes também assumem o papel de vilão!

Os alimentos são fontes de vários nutrientes que devem actuar em conjunto para poder prevenir certas doenças, por isso os estudos com frutas e legumes mostram resultados mais concretos no que diz respeito à protecção da saúde do que estudos com nutrientes isolados. Os níveis plasmáticos de antioxidantes podem servir como referência de uma alimentação saudável.

A acção preventiva de antioxidantes pode ocorrer precocemente na progressão da doença, mas ser ineficaz posteriormente. O excesso de antioxidantes, poderá, ao longo da sua evolução remover a pressão que modela sistemas endógenos (do próprio organismo), levando a uma não expressão de genes envolvidos na defesa do nosso corpo. Este excesso também pode inibir a proliferação de células saudáveis e diminuir a adaptação ao “stress oxidativo”.

De muitos tipos de antioxidantes, existem quatro importantes: a vitamina C, a vitamina E, os betacarotenos e os flavonóides. O excesso destes podem causar danos no nosso organismo (os quais devemos estar informados)  e dos quais vou falar um por um ao longo do texto.

Vitamina C e vitamina E:

As vitaminas são essenciais para que nos mantenhamos saudáveis, mas quando tomadas em excesso provocam danos colaterais. A vitamina C provoca danos como indigestão, diarreia, sinais de intoxicação (náusea, vómito, diarreia, dor de cabeça, rubor na cara, fadiga, perturbação no sono e envenenamento em caso de pessoas que tenham acumulação de ferro no organismo).

O excesso de vitamina E vai aumentar a necessidade de vitamina K, o qual poderá causar hemorragias em indivíduos que utilizam medicamentos anticoagulantes.

Citrinos - fonte de vitamina C

Betacarotenos:

A acumulação deste antioxidante só tem um único malefício que é o aparecimento de uma coloração amarela na pele.

Flavonóides:

Em recém-nascidos, o excesso destes aumenta a incidência de leucemia, por isso é que mulheres na sua gravidez precisam de ter em atenção quando ingerem e em que quantidade.

Chá verde, uma bebida rica em flavonóides

Estatísticas realizadas mostram que existem pessoas portadoras de cancro que ingerem suplementos vitaminais, o que lhes pode trazer efeitos prejudiciais se tomadas em excesso, e tendo em conta que estes suplementos misturam vitaminas com minerais, a situação pode-se agravar quando este entra no aparelho digestivo onde há como uma “competição” entre os nutrientes de forma a serem absorvidos.

Informe-se , seja inteligente, proteja-se destes danos prejudiciais e viva !

Autora:

Carolina Murta*

Fontes:

http://www.copacabanarunners.net/vitamina-c.html

http://esclerosemultipla.wordpress.com/2006/06/10/perigos-das-vitaminas-e-minerais-em-excesso/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Betacaroteno

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/vitaminas/vitamina-p-rutina.php

Anúncios

Muito obrigado, radicais livres!

Os radicais livres, como já foram referidos anteriormente (Efeito dos radicais livres na saúde), nem sempre fazem o papel de vilões no nosso organismo. Estes ajudam o nosso organismo na coagulação, na apoptose celular (“suicídio” das células), na cicatrização e no combate de microorganismos.

Dentro dos muitos radicais livres que ajudam o nosso organismo destaca-se o óxido nítrico (NO). Este é um gás solúvel, lipofílico (solúvel em lípidos) produzido pelas células endoteliais (células da camada mais interna dos vasos sanguíneos), macrófagos (células do sistema imunitário) e por um determinado grupo de neurónios.

A produção de óxido nítrico pelas células do sistema imunitário ajudam-no a combater as bactérias, vírus, fungos, entre outros microrganismo, devido à sua capacidade de formar espécies reactivas de azoto, nocivas para estes.

Escherichia coli, uma bactéria responsável pelas gastroenterites

O óxido nítrico também é utilizando pelas células endoteliais devido ao facto deste conseguir relaxar o músculo dos vasos sanguíneos, aumentando o fluxo sanguíneo e o transporte de oxigénio e de nutrientes para as células. Outra característica é o papel que desempenha na erecção do pénis, devido a uma maior irrigação dos corpos carvonosos.

O óxido nítrico apresenta também funções neurotransmissoras, e pensa-se que a sua presença está envolvida na formação da memória. Devido à sua produção por parte das plaquetas, este encontra-se envolvido nos mecanismos de coagulação.

Os radicais livres ainda ajudam nos mecanismos da apoptose (morte celular programada), sendo os radicais livres do oxigénio que estão mais envolvidos neste processo. Por isso, o excesso de antioxidantes no nosso organismo diminui o número de radicais livres, sendo consequentemente prejudicial para a eliminação de células cancerígenas e lesadas.

Autora: Juliana

Fontes:

http://biobioradicais.blogspot.com/2008/11/os-benefcios-dos-radicais-livres.html

http://saude.sapo.pt/artigos/?id=790438

http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%93xido_n%C3%ADtrico

http://radicaisbiobio.blogspot.com/2008/06/radicais-livres-heris-ou-viles.html