Antioxidantes – Novos Horizontes

Os antioxidantes, como temos vindo a referir em postagens anteriores, são muito benéficos para a saúde. Aqui vão algumas curiosidades e descobertas recentes:

  • Algumas experiências com ratos permitiram concluir que os antioxidantes podem estabilizar o crescimento de células cancerosas ao proibir a chegada de oxigénio a estas células. Durante este estudo os cientistas verificaram que os ratos que tinham linfomas apresentavam um elevado número de radicais livres que são utilizados pela proteína HIF-1 para ajudar a produzir ATP, sendo utilizada na criação de novos vasos sanguíneos. Com a presença de antioxidantes, como é o exemplo da vitamina C ou N-acetilcisteína, os radicais livres vão ser reduzidos pelos antioxidantes, conduzindo apenas à morte das células cancerosas;

Espinafres - Fonte de vitamina E

  • Outros estudos realizados por cientistas levaram à síntese de uma família de compostos químicos a partir da vitamina E mais eficazes que esta denominados de piridinóis. Estes ligam-se ao LDL (colesterol) e protegem-no da oxidação. Os cientistas pretendem tornar estes compostos solúveis em água, ao contrario da vitamina E o que permitirá uma maior captura de radicais livres, uma vez que grande parte do nosso organismo é composto por água;
  • A pancreatite crónica é uma doença que resulta de pedras na vesícula, abuso de álcool e mutações génicas e manifesta-se através da perda de peso, diarreia, falta de vitaminas e dores abdominais agudas. Os doentes que apresentam esta patologia apresentam um elevado número de radicais livres que pode ser regulado com antioxidantes, reduzindo a dor de uma forma natural e não com o constante consumo de analgésicos;

Pipocas, o aperitivo mais antioxidante conhecido

Outra curiosidade interessante é o facto das pipocas serem o aperitivo com maior quantidade de antioxidantes e fibras.

Autora: Juliana

Fontes:

http://www.hopkinsmedicine.org/Press_releases/2007/09_10_07.html

http://exploration.vanderbilt.edu/news/news_antioxidant.htm

http://abcnews.go.com/Health/WellnessNews/story?id=8356993

http://www.naturalnews.com/025275_pain_antioxidants_antioxidant.html

Imagens retiradas de:

http://www.phoenixgardens.net/WhatWeGrow/Vegetables/SpringVegetables/tabid/57/Default.aspx

http://sobrepalavra.wordpress.com/2009/09/25/pipocas-da-vida/

Anúncios

Antioxidantes: um novo passo na cura da SIDA?

Como todos nós sabemos, a SIDA – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – é um conjunto de sintomas e infecções que delibitam o sistema imunitário, sendo o vírus do HIV o responsável por isso. Infelizmente, ainda não há cura possível nem vacina para prevenção. Estudo recentes na área dos antioxidantes indicam que estes podem retardar a evolução do vírus e melhorar a qualidade de vida das pessoas seropositivas.

O vírus do HIV foi descoberto pela primeira vez em 1983 por Luc Montagnier e afecta as células defensoras do organismo – os leucócitos (ou glóbulos brancos) – nomeadamente os linfócitos T que são responsáveis por estimular outras células de defesa, destruir agentes patogénicos assim como células cancerosas. Os linfócitos T, uma vez infectados, são destruídos ou sofrem a apoptose (suicídio celular). Contudo, o vírus já se multiplicou e alastra-se pelo organismo. As pessoas seropositivas ficam assim com o sistema imunitário enfraquecido e sujeito as infecções oportunistas, como certos tipos de cancro e Influenza (gripe).

Linfócito T infectado pelo vírus do HIV (representado a vermelho)

Estudos revelam que estes pacientes possuem deficiências nutricionais, como a falta de vitaminas devido a uma má absorção e as suas células estão em constante stress oxidativo. Este excesso de radicais livres degrada proteínas, glícidos e lípidos, provoca mutações no DNA (aparecimento de células cancerosas) e pode levar à destruição de tecidos. A melhor solução para este problema será um maior consumo de antioxidantes, pois para além de neutralizar os radicais livres e corrigir os seus efeitos negativos, auxiliam a repor os níveis de hormonas no organismo e diminuem os efeitos secundários da medicação tomada, como as náuseas e a lipodistrofia (acumulação de lípidos em partes do corpo).

Os antioxidantes do próprio organismo (glutationa e outros) em quantidades normais inibem a entrada do vírus nos linfócitos e a sua replicação. Este mecanismo de ¨barreira¨ protectora poderá revelar-se ser importante na prevenção da doença e até mesmo na cura.

Angela

Imagens retiradas de:

http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_da_imunodefici%C3%AAncia_adquirida

http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?from_info_index=21&infoid=2212&sid=10

Fontes:

http://lefextension.com.br/hiv-sida/

http://www.healthy.net/scr/Interview.aspx?Id=187

Antioxidantes também assumem o papel de vilão!

Os alimentos são fontes de vários nutrientes que devem actuar em conjunto para poder prevenir certas doenças, por isso os estudos com frutas e legumes mostram resultados mais concretos no que diz respeito à protecção da saúde do que estudos com nutrientes isolados. Os níveis plasmáticos de antioxidantes podem servir como referência de uma alimentação saudável.

A acção preventiva de antioxidantes pode ocorrer precocemente na progressão da doença, mas ser ineficaz posteriormente. O excesso de antioxidantes, poderá, ao longo da sua evolução remover a pressão que modela sistemas endógenos (do próprio organismo), levando a uma não expressão de genes envolvidos na defesa do nosso corpo. Este excesso também pode inibir a proliferação de células saudáveis e diminuir a adaptação ao “stress oxidativo”.

De muitos tipos de antioxidantes, existem quatro importantes: a vitamina C, a vitamina E, os betacarotenos e os flavonóides. O excesso destes podem causar danos no nosso organismo (os quais devemos estar informados)  e dos quais vou falar um por um ao longo do texto.

Vitamina C e vitamina E:

As vitaminas são essenciais para que nos mantenhamos saudáveis, mas quando tomadas em excesso provocam danos colaterais. A vitamina C provoca danos como indigestão, diarreia, sinais de intoxicação (náusea, vómito, diarreia, dor de cabeça, rubor na cara, fadiga, perturbação no sono e envenenamento em caso de pessoas que tenham acumulação de ferro no organismo).

O excesso de vitamina E vai aumentar a necessidade de vitamina K, o qual poderá causar hemorragias em indivíduos que utilizam medicamentos anticoagulantes.

Citrinos - fonte de vitamina C

Betacarotenos:

A acumulação deste antioxidante só tem um único malefício que é o aparecimento de uma coloração amarela na pele.

Flavonóides:

Em recém-nascidos, o excesso destes aumenta a incidência de leucemia, por isso é que mulheres na sua gravidez precisam de ter em atenção quando ingerem e em que quantidade.

Chá verde, uma bebida rica em flavonóides

Estatísticas realizadas mostram que existem pessoas portadoras de cancro que ingerem suplementos vitaminais, o que lhes pode trazer efeitos prejudiciais se tomadas em excesso, e tendo em conta que estes suplementos misturam vitaminas com minerais, a situação pode-se agravar quando este entra no aparelho digestivo onde há como uma “competição” entre os nutrientes de forma a serem absorvidos.

Informe-se , seja inteligente, proteja-se destes danos prejudiciais e viva !

Autora:

Carolina Murta*

Fontes:

http://www.copacabanarunners.net/vitamina-c.html

http://esclerosemultipla.wordpress.com/2006/06/10/perigos-das-vitaminas-e-minerais-em-excesso/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Betacaroteno

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/vitaminas/vitamina-p-rutina.php

Romã – Antioxidante Tradicionalista

Fruto subtropical, de nome científico Punica granatum L. e pertencente à família Punicaceae, é cultivado um pouco por todo o mundo, mas teve origem no Mediterrâneo; não suporta episódios de temperaturas baixas contínuas, mas resistem ao frio intenso e à geada.

De valor calórico reduzido e rico em vitaminas, este fruto é a Romã. Desde pequena que fui habituada a comê-la, mas nunca me interessei nem pelos benefícios, nem pelos malefícios que ela me podia trazer. Este tema,Fruta da Semana” veio aumentar os nossos conhecimentos sobre as características das frutas por nós consumidas durante toda a nossa vida.

Interior de uma romã

Pela imagem, repare no seu tom vermelho-alaranjado que este fruto apresenta; observe a quantidade de sementinhas (comestíveis) que ela nos oferece para que possamos usufruir de muitos benefícios para a saúde.

E que benefícios?

  • Este fruto acaba com infecções que possam surgir na boca (aftas), que tenham origem na garganta (amigdalites faringites, etc.), entre outros, chamando-se “antibiótico natural”.

  • Ele também ajuda na prevenção da oxidação do LDL (“mau” colesterol), que pode induzir ao endurecimento das artérias e ao desenvolvimento de aterosclerose.

De que lhe custa beber um copo de sumo de romã por dia? Só este pequeno gesto vai-lhe permitir ajudar na recepção do oxigénio, diminui o risco de progressão de doenças cardiovasculares; e vários estudos revelam que poderá combater as células que levarão à propagação do cancro da próstata e da mama.

PREVINA-SE: já comeu Romã hoje?

Autora: Carolina Murta

Fontes:

http://performance.clix.pt/html/nutricao_desc.asp?id=554

http://www.arara.fr/BBROMA.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fruta