Mais um passo no projecto: novas amostras!

Chegando à época das anonas cá na região, decidimos aproveitar este fruto para analisar o seu poder antioxidante. Deste modo, também seleccionamos as caiotas ou chuchu (nome conhecido em outras zonas do país e no Brasil).

Anona utilizada por Grupiv

Caiota utilizada por Grupiv

Annona cherimoya, conhecida simplesmente como anona, é uma espécie nativa da América Central, sendo o fruto de cor verde e com pequenas “depressões” e o seu interior branco com sementes pretas. Estas últimas são tóxicas uma vez ingeridas, daí servirem de insecticida natural. É um fruto rico em fósforo, ferro e vitamina C.

Sechium edule, conhecida como caiota, é uma espécie das família das cucurbitáceas (plantas rastejantes e trepadeiras, como a abóbora, o pepino, o melão, entre muitos outros) também nativa da América Central e considerada como um fruto devido ao facto das suas sementes estarem incorporadas por uma parte comestível. É rico em fibras, potássio e vitaminas A e C. Toda a planta é comestível.

Procedeu-se então da mesma forma do que as frutas anteriores para a extracção de compostos antioxidantes em metanol e filtração (para os mais esquecidos –> 2º Etapa – Metanol e Filtração). Como as caiotas são consumidas maioritariamente cozidas, decidimos fazer dois extractos para tal, um com este fruto cozido e outro deste fruto ao natural.

Anona cortada ao meio

A cozer as caiotas

Caiota cozida no gobelé da esquerda e respectiva água de cozedura no gobelé da direita

Preparado de anona antes de adicionar metanol

Grupiv

 

Radicais livres não é só nos animais!

A fotossíntese é um dos processos mais importantes que ocorreu na vida de uma planta mas que em contrapartida expõe as mesmas à actividade dos radicais livres. Deste modo, as plantas produzem antioxidantes que irão combater os danos eventuais, sendo também de referir que processos metabólicos secundários das plantas (não têm como prioridade produzir compostos para a sobrevivência das células mas sim para a competição no meio ambiente e constitui uma vantagem evolucionária) têm como função a eliminação de radicais livres como também a protecção contra a oxidação causada pelo excesso de radiação ultravioleta entre outros factores, como a falta de água.

O metabolismo secundário das plantas produz compostos que atraem os insectos para as suas flores, podendo assim transferir o seu pólen.

Nas plantas, a alterações ambientais levam por vezes a formação de radicais de oxigénio muito reactivos. A resistência a essas alterações podem estar relacionadas com a actividade de enzimas envolvidas na desintoxicação dos mesmos. Esses radicais de oxigénio provocam danos celulares na planta que podem ser reduzidos através do superóxido dismutase de manganês (MnSOD) presentes nos cloroplastos e mitocôndrias (organelos mais propícios para a formação de RL). É de deduzir então que quanto maiores forem as quantidades de superóxido, maior será a redução dos danos celulares.

Curiosidades: já pensou que os microondas não trazem só benefícios, principalmente para os que têm pouco tempo de almoço e gosta de comida caseira? A água quando aquecida no microondas e após o seu arrefecimento, se for utilizada para regar plantas, principalmente no seu estado inicial de crescimento, favorece a formação de radicais livres podendo causar danos graves nas células vegetais, como a perda de rigidez da parede celular ou até mesmo a morte da célula afectada. Isto deve-se à radiação que fica retida na água, a qual vai reagir com os compostos dentro das células.

Como a nossa dieta diária inclui fruta e verduras, o nosso corpo está mais "protegido" das radiações microondas

Existe vários tipos de herbicidas (uns mais poderosos e selectivos do que outros) que utilizam diferentes formas de destruir as plantas indesejadas. Enquanto que uns utilizam compostos químicos para destruir o DNA ou os organelos celulares, outros inibem a acção dos pigmentos fotossintéticos e ainda existem aqueles que provocam radicais livres nas células. Uma exposição prolongada deste “venenos” culminam na morte da mesma.

Diogo e Carolina

Fontes:

http://www.uri.edu/ce/factsheets/sheets/herbicides.html

http://www.answerbag.com/q_view/178672

http://www.revistas.ufg.br/index.php/REF/article/viewFile/3026/3048

Imagens retiradas de:

http://www.abelhas.ufc.br/pesqand.htm

http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/microondas.asp